Aforismos de John Stuart Mill e o pensamento Utilitarista


Quem sabe apenas sua parte sobre uma questão, nada sabe sobre ela.

Nunca podemos ter certeza de que a opinião que tentamos sufocar é falsa; e se tivéssemos, sufocá-la continuaria sendo um mal.

Se toda a humanidade menos um fosse da mesma opinião, e apenas um indivíduo fosse de opinião contrária, a humanidade não teria maior direito de silenciar essa pessoa do que esta o teria, se pudesse, de silenciar a humanidade.

Cada qual é o guardião conveniente de sua própria saúde, quer corporal, quer mental e espiritual. Os homens têm mais a ganhar suportando que os outros vivam como bem lhes parece do que os obrigando como bem parece ao resto.

É o que os homens pensam que determina sua maneira de agir.

John Stuart Mill

John Stuart Mill e o utilitarismo:

Stuart Mill foi um dos pais do pensamento filosófico utilitarista, um ramo do consequencialismo. 

Acreditava que as condutas deveriam ser analisadas pelas consequências finais causadas ao maior número de integrantes da coletividade. Assim, moralmente boas eram as condutas que maximizassem a felicidade da maior parte do grupo, mesmo que às custas do sacrifício de setores minoritários. Minorias e o indivíduo são secundários na busca da maior felicidade do grupo majoritário. Se este objetivo foi atingido a ação é boa e digna.

Na ficção temos como exemplo de pensamento utilitarista o Sr. Spock, o Vulcano de Jornada nas Estrelas. Um dos grandes adágios vulcanos prega que  “As necessidades de muitos sobrepõem-se às necessidades de poucos ou de um só”. Puro Stuart Mill.

O pensamento utilitarista está em franca oposição à filosofia Kantiana, onde a moralidade da conduta deve ser analisada pela conduta em si, pouco importando as consequências que possam advir. O imperativo categórico não olha para os resultado. Seu foco são as ações per si. O certo é o certo, pouco importando a felicidade ou infelicidade que acarrete para um, para poucos ou para a maioria. O kantismo olha para a ação isolada e sua intenção. Tem a pretensão de universalização e não aceita o sacrifício do indivíduo na intenção de maximizar o bem estar da maioria. 

Mill, alem de pregador do utilitarismo, também foi um dos mais influentes libertários do Sec. XIX, com uma defesa intransigente das liberdades individuais, de imprensa e de pleno empreendedorismo, desconfiando de qualquer intrusão do Estado nos negócios e na vida íntima.

Anúncios

Autor: Manuel Sanchez

Leitor compulsivo, amante das viagens e da boa mesa. Sou um sujeito que acredita no charme da simplicidade, que riqueza é ter tempo e que se esforça para passar longe da vulgaridade.

Gostou? Tem uma opinião diferente? Fale conosco e deixe seu feedback

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s