Crônicas e Afins: Os dias e os namorados


image

Os amores e os afetos movimentam o pensamento e a arte desde o dia em que a faísca cruzou nossos olhos. 

É na busca dos encontros que criamos sentido. Encontros com o corpo, consigo mesmo e com o outro. A energia, o amor e o tesão descobertos NESTE mundo. O mundo real. O mundo dos movimentos e das energias. Encontros com os sentidos do corpo. Desejo que está no corpo. Mente produto do corpo. Mundo que é. Nada de mundos idealizados romanticamente. Mundo de atrito. Amor na posição vertical.

O que desejar para alguém? Amor. Mas que tipo de amor? Que o mundo te mostre menos amores Platônicos e mais amores Espinozanos. Menos amores articulados no desejo da  falta. Menos amores sustentados em idealizações. E que te ofereça mais amores de encontros reais. Que você busque mais amores de afetos. Tangíveis. Com tudo o que eles proporcionam de alegria e tristeza. Sem negar nada. Sem se afastar de coisa alguma que os amores deste mundo podem oferecer.

Amor aqui. Amor fati.
Potência de viver.
—————–
Crônica, “Os dias e os namorados” , de Manuel Sanchez .

Anúncios

Gostou? Tem uma opinião diferente? Fale conosco e deixe seu feedback

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s