Bakthin e os limites do Eu e da linguagem


13432383_628489057329565_6351774232155304213_n

Bakhtin (1895-1975) foi um filósofo russo que trabalhou a questão da linguagem e de seus signos, colocando a formação individual como um produto de uma polifonia de informações que nos são bombardeadas pela sociedade.

Ou seja, não existiria um “eu” propriamente dito e anterior que se coloca no seio social, mas um meio social que desde o nascimento nos abastece de informações, preconceitos e diretrizes, nos avisando quais são os caminhos socialmente legítimos e aquelas interpretações do mundo que serão vetados pela sociedade.

Primeiro vem a sociedade e seus padrões e delimitações, com sanções e recompensas sociais. Depois forma-se o indivíduo com suas anuências e escolhas.

Um dos seus temas era dos limites da semântica, uma questão bem explorada no cartoon que coloco a seguir.

13450908_628488893996248_4340290657017109149_n

 

Anúncios

Autor: Manuel Sanchez

Leitor compulsivo, amante das viagens e da boa mesa. Sou um sujeito que acredita no charme da simplicidade, que riqueza é ter tempo e que se esforça para passar longe da vulgaridade.

Gostou? Tem uma opinião diferente? Fale conosco e deixe seu feedback

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.