Sêneca: fracos de vontade

Críticos pensam que o que eles mesmos não podem fazer , não é feito; eles julgam a virtude à luz de suas próprias fraquezas.
– Sêneca

Faça ou não faça. Tentativa não há.
– Mestre Yoda, no filme Guerra nas Estrelas episódio IV

Anúncios

Sêneca e a visão da verdade

Não importa apenas o que você vê, mas com que olhos você vê; nossas almas são muito fracas de visão para perceber a verdade .
– Sêneca

Liberdade, verdade, paz ou talvez amor? São ilusões, fantasias da percepção, sínteses temporárias de um débil intelecto humano tentando desesperadamente explicar uma existência sem significado ou propósito.
– Morpheus, no filme Matrix

Filosofia nos Quadrinhos: A Verdade Sobre SuperMan

“Clark Kent é como o Super-Homem nos vê. E quais são as características de Clark Kent?

Ele é fraco, inseguro e covarde.

Clark Kent é uma crítica do Super-Homem à raça humana.”

Bill, em Kill Bill volume 2

GalleryChar_1900x900_allstarSuperman_52ab8fc670d367.92768430

Bruce Wayne nasceu Bruce Wayne. Ele veste a persona do Batman para se sobrepor aos seus temores. Peter Parker nasceu Peter Parker. Ele se torna o Homem-Aranha após um acidente e descobre em si uma grande responsabilidade. Eles usam seus disfarces para atingir coisas incríveis. Mas fazem isso valorizando seu lado humano. O que está ali nas páginas dos quadrinhos é a inteligência de Batman e o senso de responsabilidade do Homem-Aranha.

Isso vale para quase todos os grandes heróis do universo de quadrinhos. Eles são humanos que após alguma tragédia pessoal ou acidente cósmico/radioativo, descobrem dentro de si algo maior que seus medos e decidem trilhar o caminho da justiça e da luta pelo bem. Seus disfarces valorizam seu lado humano.

Isso não é verdade para o Super-Homem.

Ele não nasceu Clark Kent. Ele nasceu Kal-El, um alienígena. Ele não precisa de Clark Kent. Ele é um deus no meio de humanos e poderia facilmente destruir, escravizar e reinar se o desejasse. E muitas vezes disse isso textualmente nos quadrinhos.Mas ele preferiu se esconder como Clark Kent.

Levando em conta que Kal-El  tem força, velocidade, inteligência e acesso a tecnologias além de qualquer limite humano, seu alter ego Clark Kent poderia continuar escondido e ser um grande esportista, um fenomenal cientista ou qualquer elemento de destaque que trouxesse maior desenvolvimento tecnológico ou médico para a humanidade. E ainda ser o Super-Homem.

Mas Kal-El acredita que o melhor disfarce entre humanos é o de um bobo, atrapalhado, confuso e indeciso repórter. Ele deve acreditar que somos quase todos assim nesse planeta e é esse o melhor disfarce possível para sumir na multidão. Superman acredita que somos patéticos.

Superman não tem lado humano algum. O que ele acredita que é um ser humano médio é alguém fraco e covarde. Isso é o que emula, o que ele transmite a cada página vestido de Clark Kent. Clark kent é sua piada contra a humanidade. É sua visão de desprezo.  

images

Uma outra visão sobre  o herói aparece na obra de Umberto Eco que escreveu um excelente artigo sobre o mito do Super-Homem (“O SuperMan como modelo de HeteroDireção”).

Nesse artigo, Umberto Eco destaca que o Superman é produzido para o homem heterodirigido, ou seja,  o indivíduo “que vive numa comunidade de alto nível tecnológico e particular estrutura social e econômica, e a quem constantemente se sugere o que deve desejar e como obtê-lo segundo certos canais pré-fabricados que o isentam de projetar perigosamente e responsavelmente.”

Em resumo, Eco afirma que o Superman tem como principal motivação manter o status quo da sociedade que ele defende.

A produção das histórias do Superman juntamente com a propaganda, marketing e outros veículos de cultura em massa ajudam (ou persuadem) o indivíduo a valorizar e reafirmar para si mesmo o modelo atual da sociedade.

Apesar de ser quase onipotente (sua única fraqueza é a Kriptonita) o Superman não acaba com a fome na África, não elimina o terrorismo internacional e nem acaba com as ditaduras.

O Superman luta contra inimigos locais que vem roubar um banco, destruir uma cidade ou sequestrar sua namorada. Ele é provinciano. Defende a propriedade privada e luta para MANTER a lei e a ordem. Sim, ele luta contra alienígenas sanguinários que querem destruir nosso planeta. E quando os derrota, Superman mantém a Terra a salvo, exatamente como está, sem alterar o status quo. 

Esses valores, colocados como ideais, incentivam o indivíduo a lutar pelas mesmas coisas. Apesar do incrível poder que tem, o Superman não fará reforma social ou deporá o governo ilegitimamente constituído ou o ditador violento. Ele não usará de sua força para acabar com as armas nucleares, nem ajudará a desenvolver novas tecnologias e vacinas apesar de ter acesso a tecnologias impensáveis para os terráqueos em sua ultra tecnológica Fortaleza da Solidão. O indivíduo heterodirigido é persuadido a seguir na mesma direção.

Superman faz parte do sistema. Age dentro dele, seguindo suas normas, para mantê-lo.

Por isso, eu sempre torci para o Batman   🙂

superman-clark-obvious-miniatura-800x600-104321

O pensamento de Aristóteles 

O mestre de Estagira (hoje parte da Turquia) era filho de médico e treinado desde a adolescência por seu pai para observar a natureza e as relações das ervas com o corpo.

Seguiu para Atenas para realizar seus estudos na Academia de Platão e ali permaneceu dos 18 aos 38 anos como aluno, preceptor e professor. Aristóteles não se contentava apenas com o pensamento abstrato e além da filosofia, iniciou estudos de botânica, fisica, medicina, estética e política.

Após a morte de Platão, foi preterido na escolha para ser o novo diretor da Academia por não ser nascido em Atenas. Sentindo-se humilhado, abandona Atenas. Segue para a Macedônia onde foi convidado para torna-se preceptor do filho do Rei, uma criança de nome Alexandre.

Aristoteles foi o unico professor de Alexandre. Este cresceu e arrebatou militarmente o mundo civilizado da Grécia até a Índia. O aluno de Aristóteles entraria para a história como Alexandre, o Grande, o homem que conquistou todos os impérios que atravessaram sua marcha.

Após tomar a Grécia, Alexandre ofereceu a seu antigo professor qualquer posto no mundo helênico.

Mas Aristóteles quis apenas permissão e patrocínio para montar uma escola: surge o Liceu. Sua pretensão era rivalizar intelectualmente com a Academia de seu antigo mestre Platão.

Todos os livros escritos por Aristóteles se perderam no tempo. O que hoje temos com a sua assinatura em verdade são as anotações de suas aulas feitas por seus alunos do Liceu e alguns trechos de cartas. E isso basta para inscrever seu nome como um dos maiores filósofos de todos os tempos.

Aforismos de Aristóteles:

O sábio nunca diz tudo o que pensa, mas pensa sempre tudo o que diz.

O ignorante afirma, o sábio duvida, o sensato reflete.

Nunca existiu uma grande inteligência sem uma veia de loucura.

A coragem é a primeira das qualidades humanas porque garante todas as outras.

A educação tem raízes amargas, mas os seus frutos são doces.

Nosso caráter é o resultado da nossa conduta.

A virtude moral é uma consequência do habito.Nós nos tornamos os que fazemos repetidamente. Ou seja: nós nos tornamos justos ao praticarmos atos justos,controlados ao praticarmos atos de autocontrole, corajosos ao praticarmos atos de bravura.

Os homens são bons de um modo apenas, porém são maus de muitos modos

– Manuel Sanchez , introdução à Aristóteles

A serenidade de Epicteto 

​Serenidade é um termo que pode ser definido de várias maneiras; uma delas é a capacidade de não se desesperar diante de situações adversas.

Segundo Epicteto, o homem encontra a serenidade quando se ocupa exclusivamente daquilo que depende dele e aceita com docilidade todo o resto.

Escravo que se tornou filósofo e que escreveu um dos livros fundamentais do pensamento estóico, Epicteto defendia a retidão de caráter, a tranquilidade sob as agruras da vida e o desapego em relação às riquezas e paixões.