Bukowski: Meu vício eu sei qual é

– Quer tomar um drinque no bar?
– Você me transformou numa alcoólatra, Hank; Tô tão fraca que mal consigo andar.
– Foi só o bebum?
– Não, claro – disse ela, com um sorrisinho.
– Então, vamos lá beber alguma coisa.
– Beber, beber, beber! Você só pensa nisso?
– Não, mas é um bom jeito de atravessar espaços como esse aqui.
– Você não consegue encarar as coisas sóbrio?
– Posso, mas prefiro não.
– Isso é escapismo.
– Tudo é: jogar golfe, dormir, comer, andar, brigar, fazer cooper, respirar, trepar…”

Bukowski, no livro Mulheres 👠

Anúncios

Grandes frases grandes livros: notas de um velho safado

Eu sabia que tinha alguma coisa de errado comigo, mas eu não me considerava insano.

Era simplesmente que eu não conseguia compreender como é que outras pessoas tornavam-se tão facilmente irritadas, para em seguida com a mesma facilidade esquecer a sua ira e se tornarem alegres, e como é que eles podiam ser tão interessados por tudo, quando tudo era tão chato.

– Bukowski

Bukowski: sua vida

isto não é um poema. Poemas são um tédio, eles te fazem dormir.
Estas palavras te arrastam para uma nova loucura.
Você foi abençoado, você foi atirado num
lugar que cega de tanta luz.
O elefante sonha com você agora.
A curva do espaço se curva e ri.
Você já pode morrer agora. Você já pode morrer do jeito que as pessoas deveriam morrer: esplêndidas, vitoriosas, ouvindo a música,
sendo a música, rugindo, rugindo, rugindo.

– Essa loucura roubada que não desejo a ninguém a não ser a mim mesmo amém.

Bukowski: choremos

Isto é só uma chamada longa
de um espaço curto
não engendra
nenhum brilho especial
saber que
estamos errando de novo.

nós rimos cada vez menos,
vamos ficando mais sãos.
tudo que queremos é
a ausência dos outros.
até a música clássica
já foi ouvida demais,
os bons livros foram
lidos.

estamos suspeitando de novo
como suspeitamos no início
que somos
esquisitos, deformados, sem
lugar aqui.

– Bukowski

Bukowski: sobre os meus dias atuais 

“Ás vezes, a gente acha que atingiu o fundo do terror, desiste, e mesmo assim não morre.”

“Eu precisava urgentemente de uma bebida. Era sábado à noite, a cidade inteira estava bêbada.”

– Notas de um velho safado, Bukowski