Cosmos de Carl Sagan

Part of Image:Planetary society.jpg Original c...

A melhor resposta para a ignorância é o conhecimento.

A escuridão da superstição só pode ser afastada pela ciência. A bovinização das mentes só acabará com o acesso à educação.

Vivemos em uma sociedade altamente tecnológica, enviamos sondas ao espaço, vasculhamos milhões de anos-luz com nossos telescópios, entramos nas entranhas do genoma de inúmeros seres vivos. Conseguimos acumular uma boa dose de conhecimentos desse Universo a partir da orla desse pedacinho de pedra que chamamos de lar, que chamamos de Terra.

Mas todo esse conhecimento fica diluído no ruído de pseudociências, superstição e mistificação.

Muitas pessoas desconfiam, temem e atacam tudo que vem atrelado à ciência, preferindo viver em meio a mitos.

Como consultor e chefe de projetos da NASA, Carl Sagan participou de várias missões que enviaram naves espaciais robóticas para explorar o Sistema Solar, preparando os experimentos para várias destas expedições.

Concebeu a ideia de incluir junto aos satélites  fossem abandonar o Sistema Solar, uma mensagem universal que pudesse ser potencialmente compreensível por qualquer inteligência extraterrestre que a encontrasse.

The_Sounds_of_Earth_Record_Cover_-_GPN-2000-001978Preparou a primeira mensagem física enviada ao espaço exterior: Uma placa anodizada, acoplada a sonda espacial Pioneer 10, lançada em 1972. A Pioneer 11, que levava outra cópia da placa, foi lançada no ano seguinte.

Sagan continuou refinando suas mensagens; a mensagem mais elaborada que ajudou a desenvolver e preparar foi o Disco de Ouro da Voyager, que foi enviada pelas sondas espaciais Voyager em 1977.

Também foi o idealizador do programa SETI (sigla em inglês para search for extraterrestrial intelligence, que significa Busca por Inteligência Extraterrestre) – um projeto que tinha por objetivo analisar o máximo de sinais de rádio captados por radiotelescópios terrestres , a partir da idéia que se existe alguma forma de vida inteligente no universo, ela tentará se comunicar com outra formas de vida através de ondas eletromagnéticas (sinais de rádio), pois estas representam a forma de transmissão de informação mais rápida conhecida.

cosmos

Ele também encontrava tempo para a divulgação da ciência para o público leigo.

A  série Cosmos, de 1980, produzida e narrada pelo cosmólogo foi a primeira grande produção de divulgação científica feita por uma rede de TV e o livro que veio junto com a série ainda é o livro de divulgação científica mais vendido da história.

Na época, a série foi violentamente atacada pelo meio científico que a considerou uma perda de tempo, ao levar para a população em geral temas tão complexos.

Carl Sagan refutava seus pares, declarando que este era o verdadeiro trabalho da ciência: servir como uma luz para aqueles que justamente a desconhecem, tornando-se acessível e a partir de então, respeitada.

Tornou-se a série de divulgação científica mais assistida da História. Acredita-se que atingiu mais de 500 milhões de pessoas ao longo de 3 décadas. 

Veja neste link do Youtube toda a série Cosmos on line

E neste link, selecionei algumas frases do renomado cientista.

No ano de 2014,  a série Cosmos ganhou um remake, igualmente de soberba qualidade com apresentação dos cosmólogo Neil deGrasse Tyson.

Anúncios

Grandes frases grandes livros: O mundo assombrado pelos Demônios 

Carl Sagan, sobre supostas aparições alienígenas

 “De vez em quando, recebo uma carta de alguém que está em “contato” com extraterrestres. Sou convidado a “lhes fazer qualquer pergunta”. E assim, com o passar dos anos, acabei preparando uma pequena lista de questões. Os extraterrestres são muito mais adiantados, lembrem-se. Por isso faço perguntas como: “Por favor, dê uma prova breve do último teorema de Fermat”. Ou a conjetura de Goldbach. E depois tenho que explicar do que se trata, porque os extraterrestres não devem conhecer esses problemas por esses nomes. Assim, escrevo a equação simples com os expoentes. Nunca recebo resposta.

Por outro lado, se pergunto coisas como “Deveríamos ser bons?”, quase sempre obtenho resposta. Esses alienígenas sentem-se extremamente felizes em responder qualquer questão vaga, especialmente envolvendo juízos morais convencionais. Mas acerca de qualquer problema específico, em que há uma chance de descobrir se eles realmente sabem algo a mais do que a maioria dos humanos, há apenas silêncio.

Nos bons e velhos tempos, antes do paradigma do rapto por alienígenas, as pessoas levadas a bordo dos ufos recebiam sermões edificantes sobre os perigos da guerra nuclear, pelo menos era o que relatavam. Hoje em dia, quando tais instruções são ministradas, os extraterrestres parecem fixados em degradação ambiental e na aids.

O que me pergunto é como os ocupantes dos ufos podem estar tão ligados nos interesses urgentes ou em moda sobre esse planeta? Por que nem sequer um aviso incidental sobre os cfcs e a diminuição da camada de ozônio nos anos 50, ou sobre o vírus HIV nos anos 70, quando o alerta poderia ter feito realmente algum bem? Por que não nos advertir agora sobre alguma ameaça ao meio ambiente ou à saúde pública que ainda não descobrimos? Será possível que os extraterrestres só conheçam o que conhecem aqueles que relatam a sua presença?

E, se um dos dos principais objetivos das visitas alienígenas é alertar sobre os perigos globais, por que falar apenas a algumas pessoas cujos relatos são de qualquer forma suspeitos? Por que não tomar as redes de televisão por uma noite, ou aparecer com audiovisuais de alertas bem vigorosos diante do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas.

Certamente isso não seria muito difícil para quem atravessa voando milhares de anos-luz.”

Carl Sagan — no livro “O mundo assombrado pelos demônios”.

 

Carl Sagan: o que é um livro? 

Que coisa incrível é um livro. 

É um objeto achatado feito de árvore com partes flexíveis nas quais nós imprimimos uma porção de rabiscos escuros e esquisitos. 

Mas basta olhar para ele e você está dentro da mente da pessoa, talvez de alguém morto há milhares de anos.

Através dos milênios, um autor está falando claramente e silenciosamente dentro da sua cabeça, diretamente a você. A escrita talvez seja a maior das invenções humanas, unindo pessoas que nunca conheceram umas às outras, cidadãos de épocas distantes. Os livros rompem os grilhões do tempo.

Um livro é a prova de que os humanos são capazes de realizar magia.

– Carl Sagan