Grandes clássicos: As lições de a Homero na Odisséia por DANTE GALLIAN

A Odisséia é um livro fabuloso.  Eu o coloco vários degraus acima da Ilíada. 

A saga de Ulisses – um ser humano normal – em um mundo de deuses e monstros muito além de sua compreensão.  Um homem contando apenas com sua inteligência para vencer a vida. Que viaja, ama mulheres, recusa a vida eterna, aceita os dissabores. Um homem querendo voltar para casa. Leitura obrigatória.

– Manuel Sanchez 

Anúncios

Você está vivendo igual gado, sendo tocado até o matadouro? ● Pedro Calabrez

Tem um pouco de Estoicismo e um tanto de existencialismo neste extrato da palestra. 

Sartre falava que não temos controle sobre a situação em que nascemos mas  somos responsáveis por construir o melhor que pudermos daquilo que a vida fez conosco. Sem vitimismo. Aceitando a responsabilidade pela própria construção da individualidade.  

Os estóicos alegavam que deveríamos nos preparar para as perdas e mesmo para a morte. Mas não como um pensamento mórbido, mas sim para vivermos com mais intensidade a própria vida. Preparados para a dor mas aproveitando a felicidade. Libertamo-nos do apego mas buscando a tranquilidade.  

Nietzsche postulava o amor fati. Aceitar as imposições da vida mas amá-la e goza-la com prazer. Amar o mundo real. Viver o presente. Não se trata de ter uma vida aloprada e inconsequente, mas cuidar do presente e saborea-lo. 

– Manuel Sanchez