Dias de Ira 

“Amanheci em cólera. 

Não, não, o mundo não me agrada. A maioria das pessoas estão mortas e não sabem, ou estão vivas com charlatanismo.

E o amor, em vez de dar, exige. E quem gosta de nós quer que sejamos alguma coisa de que eles precisam. Mentir dá remorso. E não mentir é um dom que o mundo não merece. E nem ao menos posso fazer o que uma menina semiparalítica fez em vingança: quebrar um jarro. Não sou semiparalítica. Embora alguma coisa em mim diga que somos semiparalíticos. 

E morre-se, sem ao menos uma explicação. E o pior – vive-se, sem ao menos uma explicação.”

Clarice Lispector , Dias de Ira

Clarice Lispector: o mistério humano 

​”Aí está ele, o mar, a mais ininteligível das existências não humanas. E aqui está a mulher, de pé na praia, o mais ininteligível dos seres vivos. 

Como ser humano fez um dia uma pergunta sobre si mesmo, tornou-se o mais ininteligível dos seres vivos. Ela e o mar.

Só poderia haver um encontro de seus mistérios se um se entregasse ao outro: a entrega de dois mundos incognoscíveis feita com a confiança com que se entregariam duas compreensões.”

Clarice Lispector 

Quadro de Vladimir Volegov, vento de verão 

Existem pessoas que são violetas 

​❝ A violeta é introvertida e sua introspecção é profunda.

Dizem que se esconde por modéstia. Não é. Esconde-se para poder captar o próprio segredo. Seu quase-não-perfume é glória abafada mas exige da gente que o busque. Não grita nunca o seu perfume. Violeta diz levezas que não se pode dizer. 

— Clarice Lispector, no livro “Água viva”

Acima : van Gogh , memórias de um jardim em Etten 

Grandes frases grandes livros : Clarice Lispector na hora da estrela e a liberdade 

​❝ E quero aceitar minha liberdade sem pensar o que muitos acham: que existir é coisa de doido, caso de loucura. Porque parece. Existir não é lógico.

 Clarice Lispector, no livro “A hora da estrela”. 

Van Gogh, garota na rua