Crônicas e Afins: Paralelas 

“Eu sinto falta dela.

Como sinto falta do sol nos dias frios e nublados. Como sinto falta da chuva no meio da seca. Como sinto falta da cama

Dos lençóis manchados

Se ela soubesse. Eu sinto falta dela.

orgulho. mágoa. Nossa história. dor. mensagens raivosas chamando socorro e atenção.

Depois o silêncio vil. 

O silêncio que nubla os dias e torna árido o solo. Que tranca o quarto.

O silêncio do samurai. E sua espada

Fria.

O silêncio do maestro que antecede o adágio.

Bach com sua perfeição.

Notas Frias ao piano.

Perfeição matemática de formas geométricas que nunca existirão. Que nunca se encontram.

Como paralelas.

Se ela soubesse.

————-

Manuel Sanchez, ” Paralelas ”

Anúncios