18 traços de pessoas mentalmente fortes

 

  1. Praticam a gratidão
  2. Elas preservam sua energia pessoal
  3. Aceitam Desafios
  4. Focam naquilo que podem controlar
  5. Estabelecem fronteiras saudáveis com outros
  6. Tomam riscos calculados
  7. Fazem as pazes com o seu passado
  8. Aprendem com os seus erros
  9. Criam a sua própria definição de sucesso
  10. Elas vêm o fracasso como uma oportunidade de aprendizado
  11. Reservam tempo para ficarem a sós
  12. Elas aceitam responsabilidade integral por suas vidas
  13. Praticam a perseverança
  14. Gastam sua energia mental sabiamente
  15. Elas modificam suas crenças tóxicas
  16. Praticam um realismo otimista
  17. Toleram desconforto
  18. Permanecem firmes em seus valores
Anúncios

Sêneca: aprender sim; mas não copiar

Considero que não há nada de eminência em homens que nunca criam nada, mas sempre se escondem à sombra de outros , desempenhando o papel de intérpretes, nunca ousando por em prática o que eles tanto estudam. Eles exercitam suas lembranças no material de outros homens.

Mas uma coisa é lembrar, outra saber.

Lembrar é meramente salvaguardar algo confiado à memória; saber significa fazer tudo você mesmo, significa não depender da cópia e não precisar lançar o olhar todo o tempo para o mestre.

(…)
Aqueles que nunca alcançaram sua independência mental começam, em primeiro lugar, seguindo o líder nos casos em que todos abandonaram o líder; depois , em segundo lugar, seguem-no em assuntos onde a verdade ainda está sendo investigada.

No entanto, a verdade nunca será descoberta se descansarmos satisfeitos com as descobertas já feitas.

Aquele que segue o outro não só não descobre nada, mas nem sequer está investigando”

– Sêneca

Abaixo: Platão e Aristóteles no detalhe da Academia de Atenas , de Rafael, 1509. Aristóteles foi aluno de Platão na Academia, tornou-se professor do local, divergiu de Platão em inúmeros assuntos e fundou uma escola própria, o Liceu.

Os estóicos sobre a morte

É tão insano para um homem temer o que não lhe acontecerá, como temer o que ele não sentirá se acontecer. Portanto, a morte está tão além de todo mal que está além de todo medo do mal”
– Baso, conforme citado por Sêneca em carta a Lucílio

” Não temamos a morte; temamos o pensamento da morte. Pois a morte está sempre à mesma distância de nós. Portanto, se fosse para ser temida absolutamente, seria temida sempre. Pois qual estação de nossa vida é isenta da morte? “
– Sêneca

Abaixo: A morte de Sócrates, de David, 1787

Sêneca: ter paz ou ter razão

“Eu discordo daqueles que se atiram nas ondas e, dando boas vindas a uma existência tempestuosa, lutam diariamente contra os problemas da vida.

O sábio suportará tudo isso , mas não o escolherá; ele prefere estar em paz em vez de em guerra.

É muito pouco ter eliminado suas próprias falhas , se você deve brigar com as dos outros.”

– Sêneca, carta XVIII à Lucilio

Abaixo: o céu e o inferno , 1510, Hieronymus Bosch