Nietzsche: crônicas são mentiras 

(…) Falar muito de si mesmo pode ser também um modo de se esconder.

– Friedrich W. Nietzsche,  “Para além do Bem e do Mal”.

Vocês já conhecem a seção de crônicas do Blog Opinião Central? Ali coloco meus textos autorais entre um tanto de verdade e um passeio na mentira. Clique aqui e conheça. 

Nietzsche: fatalidade ou bênção 

Quem sabe quantas gerações terão de passar para que nasçam alguns homens que sintam em toda a sua profundidade o que eu levei a cabo!

 Penso, com temor, que quando isso chegar haverá também muitos que, sem direito e sem causa alguma, se escudem com a minha autoridade. 

Mas tal é o tormento de todos os grandes mestres da Humanidade; saber que, por diversas circunstâncias, tanto posso ser uma fatalidade para os  homens como uma benção.

— Friedrich Nietzsche em Despojos de uma tragédia.

Marteladas de Nietzsche: o seu próprio caminho

14591731_572465882942850_7991654287866019817_n

Ninguém pode construir em teu lugar as pontes que precisarás passar, para atravessar o rio da vida – ninguém, exceto tu, só tu.
Existem, por certo, atalhos sem números, e pontes, e semideuses que se oferecerão para levar-te além do rio; mas isso te custaria a tua própria pessoa; tu te hipotecarias e te perderias.
Existe no mundo um único caminho por onde só tu podes passar.
Onde leva? Não perguntes, segue-o!

Friedrich Nietzsche

14670636_1563277290364407_282089400345950580_n

Aforismos de nietzsche, parte 2

1. Quereis um nome para esse mundo? Uma solução para todos os seus enigmas? Uma luz também para vós, os mais escondidos, os mais fortes, os mais intrépidos, os mais da meia-noite? – Esse mundo é a vontade de potência – e nada além disso! E também vós próprios sois essa vontade de potência – e nada além disso!

2. Não é verdade que o meu livro oferece bom aspecto? Mas não haverá poucos que o entendam? São, na realidade, tão obscuros e incompreensíveis os meus escritos? Eu pensava que, ao falar da dor, seria entendido pelos que sofrem. Isto é seguramente certo; mas onde estão os que sofrem?

3. Nenhum vencedor acredita no acaso.

4. Não peço demasiado à vida; não lhe peço abundância supérflua; mas, em troca, espero que nos próximos anos viveremos algo que nos será invejado pelo passado e pelo futuro.

5. Sobra-nos egoísmo. Um egoísmo produzido pelo nosso eterno pensar em nós próprios, e pelo nosso contínuo sofrer por nós próprios, coisas que acabam por dar-nos a sensação de ter cem feridas mal curadas, de tal modo cada movimento nos causa uma dor aguda

6. Procuro somente um pouco de liberdade, de verdadeira atmosfera vital, e defendo-me e revolto-me contra o muito, indizivelmente muito, que me aprisiona.

— Friedrich Nietzsche em Despojos de uma tragédia.