Look Up!

Neste mundo cheio de smartphones e dumb people, onde estamos cada vez mais ultra conectados ao nada; fica uma mensagem em nome do jeito antigo de fazer e manter amizades.

Anúncios

Anotações Órficas: afogados sem sabedoria

Existe um oceano imenso de conhecimentos e opiniões nos livros. Atuais e clássicos. Professores que estão ao alcance das mãos. Mestres de outras eras para nos iluminar muitos caminhos. Faróis para navios perdidos. Bálsamo para corações feridos. Fonte de resiliência para costas chicoteadas.

Triste ver um imenso número de pessoas dando-lhes as costas . Mergulhados em bolhas rasas. Perdidos em discussões estéreis das redes sociais. E usando bóias protetoras para não serem constrangidos por opiniões contrárias.

Tanto conhecimento. Tão pouca sabedoria e bom senso.

– Manuel Sanchez

Bauman: amores fugazes e amores que insistem

As pessoas seguem a correnteza, obedecendo às suas rotinas diárias e antecipadamente resignadas diante da impossibilidade de mudá-la, e acima de tudo, convencidas da irrelevância e ineficácia de suas ações ou de sua recusa em agir.”

(…) “O que aprendemos com a amarga experiência é que essa situação de ter sido abandonado à própria sorte, sem ter com quem contar quando necessário, quem nos console e nos dê a mão, é terrível e assustadora.

Mas nunca se está mais só e abandonado do que quando se luta para ter a certeza de que agora existe de fato alguém com quem se pode contar, amanhã e depois, para fazer tudo isso se – quando – a roda da fortuna começar a girar em outra direção.”

(…) “Sem humildade e coragem não há amor. Essas duas qualidades são exigidas, em escalas enormes e contínuas, quando se ingressa numa terra inexplorada e não-mapeada.

E é a esse território que o amor conduz ao se instalar entre dois ou mais seres humanos.”

Zygmunt Bauman, Amor líquido