Dia de ouvir: Beethoven,  Für Elise (ao Piano)

Anúncios

Dia de Ouvir: Debussy, Clair de Lune

DEBUSSY

Claude Debussy (1862-1918) foi um compositor francês considerado inovador e catalisador de diversos movimentos musicais em outros países.

Não seguiu as regras da harmonia clássica: deu uma importância excepcional aos acordes isolados, aos timbres, às pausas, ao contraste entre os registros. Trouxe uma nova concepção de construção musical, que se acentuou na sua última fase.

Por isso foi incompreendido. O que não lhe desagradaria, pois ele mesmo propôs, certa vez, a criação de uma ‘sociedade de esoterismo musical’.

Era figura frequente na boemia francesa e nos ateliês de arte, o que lhe trouxe o encontro de numerosas amantes e o fim de vários casamentos. Uma de suas esposas, abandonada, tentou se matar com um tiro no peito, causando grande escândalo na época.

Em 1909, descobriu que sofria de câncer, mas continuou com suas composições e interpretações ao piano por mais alguns anos.

Morreu em 1918, durante o bombardeio de Paris, em meio a última ofensiva alemã da Primeira Guerra Mundial.

O asteroide 4492 recebeu o nome de Debussy, em homenagem ao compositor. O nome de Debussy também foi dado a uma cratera do planeta Mercúrio, com mais de 80 km de diâmetro. A cratera foi formada possivelmente pela colisão de um meteoro e é caracterizada por sulcos que, a partir dela, se estendem por vários quilômetros, o que seria uma metáfora da influência do músico.

Debussy, Clair de Lune

 

Dia de Ouvir: John Williams, o clássico no cinema

John-Williams

John Williams foi o responsável pelo primeiro contato de muita gente com a música instrumental.

Quando criança, foi graças aos seus temas musicais que eu descobri o que era uma orquestra. E isso da poltrona do cinema ou assistindo a fitas de video com meus heróis preferidos.

E devido a isso, anos depois comecei a me interessar em ir em concertos e ouvir os clássicos.

É meio louco  pensar que graças a Star Wars e Indiana Jones eu terminei ouvindo Mozart, Bach e Beethoven mas o caminho foi exatamente esse.

E para quem ainda associou o homem aos filmes e suas músicas, fica aqui uma pequena amostra.

 

Superman

 

Indiana Jones

 

Guerra nas Estrelas

 

Guerra nas Estrelas – Marcha Imperial

 

Tubarão

 

E.T – O Extraterrestre

 

Parque dos Dinossauros

 

Contatos Imediatos do Terceiro Grau

Dia de Ouvir: Tartini, “Sonata ao Demônio”

A história da “Sonata ao Demônio” começa com um sonho. Tartini comentava que em uma bela noite, sonhou que o próprio Lúcifer o visitava e requisitava que o compositor se tornasse seu servo. Antes de responder, Tartini entregou seu violino ao demônio que imediatamente começou a tocá-lo de forma virtuosa. 

Quando o compositor acordou, ele imediatamente transcreveu a melodia ouvida em seu sonho, tentando ao máxima capturar as mesmas notas ouvidas. 

A música fez sucesso em suas apresentações, mas Tartini sempre lamentava que ela não capturava a maravilhosa peça ouvida das mãos do demônio, sendo uma mera sombra da obra original ouvida em seus sonhos. 

luciferflipped_amazingdata_20090715203212