Meus Livros Favoritos – parte II

images (1)

A primeira parte do post dos livros favoritos trouxe as obras Cosmos (Carl Sagan), História da Riqueza do Homem (Leo Huberman), O Senhor dos Anéis (Tolkien), O Evangelho segundo São João, Otelo (Shakespeare), O Nome da Rosa (Umberto Eco), O Santo Graal e a Linhagem Sagrada (Lincoln- Leigh), A Odisséia (Homero), Meditações (Marco Aurelio) e O Mal Estar na Civilização (Freud).

 Passo agora para a continuação, com outros livros igualmente maravilhosos e que acredito que merecem um lugar cativo na biblioteca de todos (ou na sua seleção de ebooks).

 

 

dante Divina Comédia – Dante Alighieri

Além da imensa importância histórica do livro, a história com seu viés épico e teológico é simplesmente fascinante.

Dante descreve sua viagem pelo Inferno, pelo Purgatório e finalmente chegando ao Paraiso.

A maravilha e o espanto do poema está na viagem pelo Inferno. Sensacional.

O restante do livro não tem o mesmo impacto. O Inferno de Dante é permeado de influências clássicas gregas e romanas e cristãs. Ao longo do périplo o poeta encontra personagens como Homero, Horácio, Ovídio, Julio Cesar, Brutus e Judas, claro até vislumbrar o Demônio.

O ideal é ler uma versão comentada para entender as múltiplas referências culturais e políticas.

 

 

nelsonVestido de Noiva – Nelson Rodrigues

Nelson é o melhor teatrólogo que o Brasil já teve.

Suas peças são fantásticas, cativantes, bombásticas e politicamente incorretas. Ele é absurdamente superior nas peças do que nos romances e contos, em minha opinião.

Várias poderiam ser lembradas aqui, mas pincei “Vestido de Noiva” para simbolizar o conjunto da obra e também por ser uma das mais impactantes.

Atenção especial para a linguagem moderna, o estilo debochado e o destino que delineia todas as ações dos personagens que rumam céleres e cegos para a tragédia iminente.

E faço questão de lembrar da biografia “Anjo Pornográfico” do Ruy Castro sobre a vida do Nelson Rodrigues e todo o caldeirão cultural da época. Simplesmente uma das mais interessantes biografias publicadas.

 

 

rei lear

Rei Lear – Shakespeare

Shakespeare apareceu na primeira lista com Otelo e faço questão de nomeá-lo de forma explícita também na segunda lista com Rei Lear.

O Bardo é genial nas tragédias, simplesmente seu melhor estilo.

Neste livro, acompanhamos a história do Rei Louco e traído por suas filhas, jogado em um círculo de enganos e de decepções.

É um estudo sobre a loucura, o abandono e a ira.

 

 

sherlockAs Aventuras de Sherlock Holmes – Arthur Conan Doyle

Elementar, meu caro Watson.

O detetive inteligente, perspicaz, viciado em morfina, violinista, boxer e antissocial que conquistou milhões de fãs mundo afora. Não poderia deixar de lado o melhor livro de contos do melhor detetive da literatura.

Conan Doyle era um homem que se interessava pelas modernas técnicas de criminologia e de fato seu expertise foi usado mais de uma vez para auxiliar as forças policiais londrinas; também era um homem de ação e praticante de esportes como boxe e esgrima. Todas essas características foram levadas para sua criação mais famosa: Sherlock Holmes.

Holmes apareceu em várias novelas e livros de contos e analisamos o personagem neste post. Normalmente os contos eram publicados em capítulos em jornais  e posteriormente juntados em um livro. O mais famoso é sem dúvida “As Aventuras de Sherlock Holmes”, mas todos são maravilhosos.

Sua fama perseguiu tanto o autor que este teve que matá-lo para poder escrever outros assuntos. Os fãs ficaram tão irados que Conan Doyle foi obrigado a ressuscitar o personagem e continuar suas aventuras.

 

 brasMemórias Póstumas de Brás Cubas – Machado de Assis

Ao verme que primeiro roeu as frias carnes do meu cadáver dedico com saudosa lembrança estas memórias póstumas.

É considerado pela Literatura o início do realismo no Brasil, mas também pode ser considerado o primeiro livro de realidade fantástica e o melhor livro de Machado de Assis.

É a auto-biografia narrada pelo morto, recém chegado no além e repleto de ironia e pessimismo sobre as agruras da vida, dos relacionamentos e da vida social. Capitu e Dom Casmurro que me perdoem mas este é que é o livro realmente imperdível de Machado de Assis.

Anúncios

Grandes frases grandes livros: Nelson Rodrigues, flor de obsessão 

“Toda unanimidade é burra.

Quem pensa com a unanimidade não precisa pensar.”

– Nelson Rodrigues, no livro “Flor de obsessão: as 100 melhores frases de Nelson Rodrigues”

Nelson Rodrigues, um filósofo brasileiro

frase-sou-um-menino-que-ve-o-amor-pelo-buraco-da-fechadura-nunca-fui-outra-coisa-nasci-menino-hei-de-nelson-rodrigues-132118

A maioria das pessoas imagina que o importante, no diálogo, é a palavra. Engano, e repito: – o importante é a pausa. É na pausa que duas pessoas se entendem e entram em comunhão.

– Nelson Rodrigues

Nelson é o melhor teatrólogo que o Brasil já teve.

Suas peças são fantásticas, cativantes, bombásticas e politicamente incorretas. Ele é absurdamente superior nas peças do que nos romances e crônicas, em minha opinião. 

Várias poderiam ser lembradas, mas pinço aqui “Vestido de Noiva” para simbolizar o conjunto da obra e também por ser uma das mais impactantes.

Atenção especial para a linguagem moderna, o estilo debochado e o destino que delineia todas as ações dos personagens que rumam céleres e cegos para a tragédia iminente.

E faço questão de lembrar da biografia “Anjo Pornográfico” do Ruy Castro sobre a vida do Nelson Rodrigues e todo o caldeirão cultural da época. Simplesmente uma das mais interessantes biografias publicadas.

64349   nelson