Explicando um clássico : “O Enfermeiro” de Machado de Assis 

Anúncios

Pérolas de Machado de Assis: sem transcendências 

❝ Eu acreditaria de boa vontade na eternidade das rosas, mas sempre me repugnou acreditar na eternidade da eternidade… 

— Machado de Assis, no conto “Bagatela”

Machado de Assis e o destino silencioso 

​”O destino, como todos os dramaturgos, não anuncia as peripécias nem o desfecho. Eles chegam a seu tempo, até que o pano cai, apagam-se as luzes, e os espectadores vão dormir.”

– Machado de Assis, em “Dom Casmurro”.


Pierre Bonnard, banheira no espelho, 1915