Sócrates, réu da justiça 

Procurado vivo ou morto: Sócrates 

Por corromper a juventude!

Anúncios

“A morte de Sócrates”  – Discutindo filosofia e passeando no museu

“A morte de Sócrates”  de David. Gosto demais desse quadro! Ele está  exposto no Metropolitan de Nova York.

As circunstâncias da morte de Sócrates é que despertaram em Platão a necessidade de escrever e discutir filosofia, moral e ética (para mais detalhes sobre as circunstâncias históricas do julgamento acesse nosso post anterior aqui).

Não teríamos acesso ao corpo filosófico platônico não  fosse a condenação injusta de Sócrates à morte e posteriormente sua negativa de fugir ou viver em exílio. Ao longo do relato platônico, encontramos um Sócrates que cumpre o ritual do julgamento público, atesta seu equívoco sem receio, aceita a lei da pólis e submete-se à sua pena mesmo tendo a chance de fugir posteriormente. Momentos antes de morrer está na cela dando aula aos seus discípulos.

O início da discussão moral na filosofia  ocidental começa com um texto arrebatador sobre um julgamento que discute os erros da Justiça pública, coloca a ética sendo deslocada de uma norma transcendente para um acordo consensual da coletividade, atesta o imperativo do senso de dever, a necessidade do pensamento crítico,  firma a aceitação de quem se é ainda que viole o costume da maioria e coloca na mesa o tema tabu do suicídio.

Como já disseram anteriormente, “toda a história da filosofia ocidental resume-se a uma série de notas de rodapé à obra de Platão” (Alfred Whitehead).

 

– Manuel Sanchez